v. 27, n. 2 (2007)

Editorial

Diversidade e multiplicidade são, entre outros, termos fundamentais para pensarmos a realidade sociocultural contemporânea. Trata-se, por um lado, dos avanços crítico-teóricos que apontam para a necessidade do respeito à alteridade. Por outro, entretanto, implica efetivo convívio com as diferenças, o que se constitui em desafio à construção da vida social, baseada na solidariedade.

Ao considerarmos essa última afirmação, não podemos esquecer uma conhecida máxima de Paulo Freire: “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda.” Desse modo, para refletirmos, hoje, sobre as questões educacionais, devemos igualmente considerá-las no âmbito dos diversos e múltiplos contextos em que se inserem, os quais, em câmbio constante, mantêm atual a compreensão das principais metas da educação, de acordo com Piaget: a primeira “é criar homens capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores”. A ela segue-se, não com menor importância, a necessidade de “formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe.”

Essas metas estão contempladas neste segundo número do volume 27 da Revista Vidya, no qual encontramos, de diversas e múltiplas formas, a preocupação com um ensino voltado à formação de sujeitos críticos, capazes de estabelecerem o devido distanciamento em relação aos atraentes (e, muitas vezes, alienantes) programas de televisão, como demonstra o artigo de Camurra e Teruya; que reconheçam os valores de justiça e autonomia, conforme apresentado por Gomes e Chakur; que sejam atendidos pelas políticas públicas, considerando-se especialmente o setor agrário, na perspectiva de Daltro; e sejam avaliados de tal modo que os erros signifiquem crescimento no processo ensino-aprendizagem, especialmente em relação aos conhecimentos matemáticos, conforme Lima e Burisasco.

Além disso, constituem-se em importantes perspectivas críticas as pesquisas sobre conteúdos da Psicologia aplicados aos cursos de Magistério, de Gugik; a apropriação de conceitos de Enfermagem pelos estudantes da graduação, desenvolvida por Schwalm, Frota e Ceretta; as implicações do processo de escolarização de crianças com graves transtornos no desenvolvimento, realizada por Garcia Júnior; e a relevância de atividades com a interpretação de notícias de popularização da ciência, para que os alunos socializem suas próprias pesquisas, de acordo com Santos.

Aos que colaboraram diretamente na publicação deste número o nosso profundo agradecimento, estendido à comunidade acadêmica que vem acolhendo a Revista Vidya como importante espaço de reflexão e de troca de ideias neste amplo e desafiador universo que é a educação.

Inara de Oliveira Rodrigues

Editora

Sumário

Artigos

Luciana Camurra, Teresa Kazuco Teruya
PDF
12
Ligiane Raimundo Gomes, Cilene Ribeiro de Sá Leite Chakur
PDF
12
Renato Ribeiro Daltro
PDF
10
Roseli Cristina Negrão de Lima, Regina Luzia Corio de Buriasco
PDF
12
Michèlle Domit Gugik
PDF
10
Mágada Tessmann Schwalm, Paulo Rômulo de Oliveira Frota, Luciane Bisognin Ceretta
PDF
12
Carlos Alberto Severo Garcia Júnior
PDF
8
Rogéria Lourenço dos Santos
PDF
14