A TELEVISÃO E OS GOSTOS E PREFERÊNCIAS INFANTIS: INTERFERÊNCIAS NA EDUCAÇÃO

Luciana Camurra, Teresa Kazuco Teruya

Resumo


O presente artigo apresenta os resultados de uma pesquisa sobre a interferência dos conteúdos televisivos nos gostos e nas preferências de crianças, a fim de analisar as implicações da relação entre a TV e a subjetividade infantil no processo formativo. Com base na Teoria Crítica e na Psicanálise, buscamos compreender como a televisão atende à lógica da indústria cultural para expandir a sociedade de consumo. Entrevistamos e observamos doze crianças entre sete e dez anos de idade, em uma escola pública na cidade de Maringá/Paraná, com o objetivo de identificar os conteúdos transmitidos pela TV em suas manifestações no espaço escolar. Os resultados indicam que os textos produzidos pela mídia envolvem discursos sociais, econômicos, políticos e culturais que interferem nas formas de ser e de pensar das crianças. A maioria delas, apesar das diferenças de idade, apresenta as mesmas preferências de consumo de mídia. Isso confirma a eficácia da indústria cultural em padronizar as subjetividades infantis. Contudo, concluímos que a educação pode contribuir para favorecer a capacidade de identificar a manipulação dos indivíduos e de resistir à tentação do consumismo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.