v. 21 n. 37 (2002)

Editorial

As questões concernentes à qualificação do ensino de Língua Portuguesa e Literatura são matéria de frequentes debates, aos quais, muitas vezes, seguem propostas transformadas em programas oficiais de maior ou menor alcance efetivo. Pautadas pela dinâmica histórica e cultural, as mudanças de paradigmas incitam a sempre novos posicionamentos críticos, ainda que, muitas vezes, direcionados a problemas que desafiam o próprio processo de transformação social.

Nesse sentido, permanecem conflitantes os esforços dos professores tanto em garantir o interesse dos alunos pela leitura, quanto em buscar estratégias para as dificuldades que se apresentam nos trabalhos de produção e análise de textos. Continua, igualmente, cobrando atenção o bifrontismo da arte literária concebida enquanto patrimônio cultural humano e como expressão viva do diálogo que estabelece com a contemporaneidade.

Recentes tecnologias, no entanto, impõem perspectivas de abordagem sem precedentes, abrindo o campo das indagações sobre o presente e o futuro da atuação dos professores de Língua e Literatura. Os recursos dos meios eletrônicos potencializam a necessidade de reorientação da atividade docente, do mesmo modo que a falta deles põe a descoberto carências que vão muito além de sua efetiva utilização.

Diante de tais reflexões, as variadas abordagens aqui reunidas ganham unidade na interação dos objetivos de aprofundar, atualizar e socializar o conhecimento no campo dos estudos literários e linguísticos. Confirmam, sobretudo, o papel do profissional de Letras como agente imprescindível na construção de alternativas e propostas críticas em face das contínuas e complexas mudanças do mundo contemporâneo.

Inara de Oliveira Rodrigues

Editora

 

Publicado: 2015-05-28

Artigos