AS LETRAS LUSÓFONAS E A INSCRIÇÃO NO TEMPO: RESISTÊNCIA E RESPOSTA À FRAGILIDADE DO PROJETO HUMANO

Miriam Denise Kelm

Resumo


As relações do homem e da escrita com a dimensão temporal são, aqui, evidenciadas por um percurso que se inicia pela preocupação com a transcendência espiritual, registrada em poemas e cânticos na Antigüidade, passa pela sondagem e auto-revelação do eu na literatura confessional dos séculos XVII e XVIII, e chega à noção contem-porânea de ser inserido no espaço/tempo histórico: aquele que parti-ipa, que registra e "ficcionaliza" o vivido. A produção literária lusófona recente é exemplar na última acepção, sendo foco da presente análise.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.