v. 26, n. 1 (2006)

Editorial

A qualificação da formação docente constitui-se em tema de freqüentes debates no campo da educação, dos quais emergem propostas que se transformam, muitas vezes, em programas oficiais de maior ou menor alcance efetivo. Trata-se de uma temática que possui variadas perspectivas e diferentes implicações, como as abordadas nos dois primeiros artigos desta edição, de autoria de Maria Arleth Pereira e Débora Ortiz de Leão, respectivamente, e na análise documental empreendida por Silvia Maria de Aguiar Isaia, Eleni Bisognin, Vanilde Bisognin, com a colaboração da bolsista Andréia de Mello Buss.

Outro assunto candente nos dias atuais, a preservação ambiental, é aqui contemplado na pesquisa realizada por Luciane Carvalho Oleques e Noemi Boer, voltada à importância de caminhadas perceptivas para o desenvolvimento da sensibilidade dos educandos em relação ao meio ambiente.

Desse espaço aberto, parte-se para o relato de experiência sobre a relevância das ludotecas, apresentado por Gilse Antoninha Morgental Falkembach, Janice Vidal Bertoldo, Janilse F. Nunes Vasconcelos, Maria Joanete Martins da Silveira, Patrícia do Amaral Comarú: a princípio um ambiente fechado, revela-se como potencialmente libertador por sua dimensão criativa e emancipatória da educação.

Ao falar-se em tais potencialidades do processo educacional, o que se coloca como fundamental, de acordo com o artigo de Neuro José Zambam, é o reconhecimento da condição de agentes de todos os que estão envolvidos nesse processo. Ao se promover essa condição, garante-se, de forma conseqüente, a ação pedagógica voltada ao desenvolvimento e afirmação da cidadania.

O texto de Michèlle Domit Gugick sobre as representações da violência na escola estabelecem um diálogo muito direto com os demais artigos, desse modo constituindo-se como abertura a novas e prementes reflexões sobre o repertório de habilidades sociais dos educadores.

Por fim, a utilização de novos suportes, nos processos de ensino-aprendizagem, como os meios eletrônicos, igualmente converte-se, hoje, em uma realidade que demanda contínuas reflexões. No artigo de Fabiana Diniz Kurtz, encontra-se, justamente, uma abordagem voltada aos tópicos e procedimentos de pesquisa relacionados à aprendizagem de línguas divulgadas em periódicos virtuais.

Evidencia-se, assim, a importante contribuição dos autores desta edição da Revista Vidya, aos quais externamos o nosso agradecimento mais sincero, do mesmo modo que desejamos aos leitores um feliz encontro de idéias e ideais.

Inara de Oliveira Rodrigues

Editora

Sumário

Artigos

Maria Arleth Pereira
PDF
10
Débora Ortiz de Leão
PDF
10
Luciane Carvalho Oleques, Noemi Boer
PDF
14
Gilse Antoninha Morgental Falkembach, Janice Vidal Bertoldo, Janilse Fernandes Nunes Vasconcelos, Maria Joanete Martins da Silveira, Patrícia do Amaral Comarú
PDF
12
Neuro José Zambam
PDF
10
Silvia Maria de Aguiar Isaia, Eleni Bisognin, Vanilde Bisognin, Andréia de Mello Buss
PDF
8
Michèlle Domit Gugik
PDF
16
Fabiana Diniz Kurtz
PDF
12