v. 26, n. 2 (2006)

Editorial

Abre-se a presente edição da revista Vidya com  uma questão lançada por Délcia Enricone: “Quando a educação poderá ser a realização da esperança no futuro?”. A resposta, que não permite uma perspectiva fechada, mas, ao contrário, aponta para a abertura de implicações complexas e variadas sobre o processo educacional, de certo modo emoldura os demais artigos que ora se apresentam.

Com Maria da Glória Bordini, somos

instigados a refletir sobre o papel da universidade na promoção da leitura, considerando-se que o acesso à cultura letrada é condição fundamental para o exercício da cidadania.

Já os processos de formação e autoformação docente é o tema do artigo de Andrisa     Kemel Zanella, Neoclesia Chenet Ghisson, Silvania Regina Pellenz Irgang e Valeska Fortes de Oliveira, afirmando a importância de se ressignificar tais processos a partir das representações que esses profissionais fazem de seu papel como educadores.

Por sua vez, a preocupação com a formação dos alunos constitui-se na abordagem realizada por Ana Rosa Zurlo Dellazzana, Rosemar de Fátima Vestena, Mariglei Severo Maraschin e Silviani Monteiro Sathres, a partir da análise de questões metodológicas relacionadas à Educação de Jovens e Adultos.

Igualmente voltado a questões de ordem metodológica, o texto de Michèlle Domit Gugik investiga as técnicas de entrevista realizadas por docentes e estudantes do curso de Psicologia, afirmando a importância dessa prática para o processo de ensino-aprendizagem.

A relevância da educação ambiental, outro tema de destaque no cenário dos embates contemporâneos sobre as possibilidades de uma vida planetária de qualidade no presente e no futuro, é tratado por Ail Conceição Meireles Ortiz. Ao mapear atividades e discussões relativas a essa temática, vivenciadas nas escolas estaduais de Boca do Monte, a autora aponta a necessidade de uma atuação mais consciente dos atores sociais na práxis ambiental.

Como resultado de um projeto extensionista dirigido à formação continuada dos professores, Janilse Fernandes Nunes Vasconcelos, Marilene Gabriel Dalla Corte, Neridiana Fábia Stivanin e Maribel Susana Kipper apresentam um artigo em que é reafirmada a importância da promoção contínua de espaços para a reflexão e o desenvolvimento da criticidade de professores formadores e de futuros professores em relação aos seus saberes e fazeres pedagógicos.

Perspectivas não só metodológicas como também de cunho teórico relacionadas ao ensino-aprendizagem da Língua Portuguesa para estrangeiros são apresentadas no artigo de Célia Helena de Pelegrini Della Méa e Nilsa Teresinha Reichert Barin. As autoras apontam as possibilidades de qualificar, de modo contínuo, a comunicação interpessoal e a troca de experiências interculturais realizadas com alunos oriundos de diferentes continentes.

No fechamento deste número, encontra-se o artigo de Darlene Scholze, Vantoir Roberto Brancher e Cláudia Terra do Nascimento que apresenta os resultados da pesquisa sobre a importância do lúdico como aspecto a ser considerado no processo de ensino-aprendizagem.

Com tal diversidade de perspectivias, estima-se contribuir para que a pergunta de abertura desta edição da Revista Vidya seja mesmo uma afirmação do futuro no presente – aqui e agora, a educação se pensa, se faz e se lança, esperançosamente, para (re)criar a vida.

Inara de Oliveira Rodrigeus

Editora

Sumário

Artigos

Délcia Enricone
PDF
8
Maria da Glória Bordini
PDF
8
Andrisa Kemel Zanella, Neoclesia Chenet Ghisson, Silvania Regina Pellenz Irgang, Valeska Fortes de Oliveira
PDF
8
Ana Rosa Zurlo Dellazzana, Rosemar de Fátima Vestena, Mariglei Severo Maraschin, Silviani Monteiro Sathres
PDF
14
Michèlle Domit Gugik
PDF
12
Ail Conceição Meireles Ortiz
PDF
12
Janilse Fernandes Nunes Vasconcelos, Marilene Gabriella Corte, Neridiana Fábia Stivanin, Maribel Susana Kipper
PDF
16
Célia Helena de Pelegrini Della Méa, Nilsa Teresinha Reichert Barin
PDF
6
Darlene Scholze, Vantoir Roberto Brancher, Cláudia Terra do Nascimento
PDF
12