AS IMPLICAÇÕES DA EPISTEMOLOGIA DE POPPER NO ENSINO DE CIÊNCIAS

Anderson Luiz Ellwanger, Marcos Alexandre Alves, Solange Binotto Fagan

Resumo


O artigo apresenta uma discussão fundamentada na epistemologia de Karl Popper e indica suas possíveis implicações para o ensino de ciências. O “problema da demarcação” é central na obra de Popper, e consiste em identificar um critério que distinga as teorias científicas das pseudocientíficas. Essa distinção passa pela sujeição de uma teoria científica a testes empíricos, que podem resultar na sua falsificação. Nessa perspectiva, cabe à epistemologia discutir e indagar como podem os enunciados científicos serem submetidos a testes. No ensino de ciências, Popper incentiva ao educador mapear previamente os conhecimentos dos estudantes e usá-los, em suas aulas, como ponto de partida. Sugere, além disso, que o professor explicite algumas teorias científicas corretas e incorretas, e após, por meio de comprovações e ou refutações, descarte as inapropriadas e sistematize o conhecimento científico. Enfim, a contribuição de Popper para o ensino consiste na tese de que o conhecimento científico é sempre provisório.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.37781/vidya.v36i1.566

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.