AUTORITARISMO E LITERATURA: A HISTÓRIA COMO TRAUMA

Jaime Ginzburg

Resumo


Existe uma relação direta entre a fragmentação formal em obras literárias na modernidade e uma série de mudanças histórico-sociais que alteraram profundamente as relações entre os seres humanos e abalaram a concepção clássica de sujeito. Dessa relação, discutida de diferentes modos por Theodor Adorno, Erich Auerbach e George Steiner, entre outros, fica evidente aqui um aspecto em particular — a desumanização. A principal mediação conceitual consiste na categoria do "trauma", que permite associar o problema da crise da representação com a violência do processo histórico.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.37781/vidya.v19i33.533

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.