A MONTANHA MÁGICA: UM ROMANCE DE FORMAÇÃO

Maria Luíza Ritzel Remédios

Resumo


Thomas Mann, autor e origem de uma obra admirada, fonte de conhecimento mais profundo do homem e da sua situação nos tempos modernos, descreve em sua produção literária a classe burguesa, não como a vemos hoje, mas relacionada à burguesia da Idade Média, profundamente imbuída pela tradição de trabalho, que visava, como diz Anatol Rosenfeld, "à perfeição absoluta nos detalhes e no todo, tradição de artesanato e dedicação à esmerada atividade cotidiana."Devido a esse pachos de trabalho, sua posição diante da classe burguesa capitalista é crítica e seus romances constituem variações do lento e trágico processo de deterioração dessa sociedade. Escritos em diversas circunstâncias, revelam a preocupação de um homem atento a uma época de crises, tensões e guerras. Surgem, portanto, num período de transição, carecendo, por isso, de elementos utópicos e apresentando aspecto moderno-contemporâneo, ainda que, concomitantemente, se os considerem supratemporais. Por isso, contêm a crônica da decadência e a crítica da sociedade burguesa, ambas a partir da perspectiva do burguês sensível e culto, que é Thomas Mann.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.