A REPRESENTAÇÃO FEMININA NOS DISCURSOS MIDIÁTICOS E SUAS REPERCUSSÕES NAS PRÁTICAS FORMATIVAS

Sibila Rocha, Silvia Niederauer, Vera Elizabeth Prola Farias

Resumo


A presente proposta de pesquisa se enquadra nas preocupações com os atuais processos de publicização do universo feminino e de suas representações discursivas em duas crônicas (uma de Martha Medeiros e outra de Claudia Laytano) em dispositivo midiático de circulação e referenciabilidade no Rio Grande do Sul: o jornal Zero Hora. Tal questão está situada no âmbito da problemática educação e mídia, considerando-se que esses dois campos sociais desenvolvem práticas formativas de grande repercussão na construção dos valores sociais. O estudo, portanto, entende que a existência de suportes midiáticos cujas estratégias discursivas se voltam para instituir novas formas de contato dos mais diferentes campos sociais é fonte formadora de ideias, valores e comportamentos. Nesse sentido, refletir sobre o papel da educação pela mídia é focar no trabalho de: constituir em uma espécie de observador do mundo, a partir de operações discursivas inerentes ao seu modo de funcionamento enunciativo. Nessa perspectiva, o universo feminino, apesar da sua existência no âmago da esfera privada, é uma resultante de operações midiáticas que, a sua maneira, midiatizam e jogam na esfera pública o que até então estava insulado na prática do comportamento humano, nas relações cotidianas e no âmbito do privado.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.