MODELAGEM MATEMÁTICA E EDUCAÇÃO MATEMÁTICA CRÍTICA: UMA INTERLOCUÇÃO POSSÍVEL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.37781/vidya.v43i2.4622

Palavras-chave:

Perspectivas sociopolíticas de educação matemática, Perspectiva sociocrítica de modelagem matemática, Prática pedagógica, Paradigma crítico de pesquisa, Grupo de pesquisa

Resumo

Neste artigo, objetivamos identificar os aspectos que caracterizam a perspectiva sociocrítica de modelagem na educação matemática praticada pelo grupo de pesquisa Coletivo Crítico. A modelagem pode ser entendida como a busca por soluções para problemas da realidade por meio da matemática. Numa perspectiva sociocrítica, almeja-se, também, discutir questões críticas e o papel da matemática em sociedade. Nos trabalhos realizados pelo grupo, essa orientação se pauta, principalmente, na educação matemática crítica. A partir da análise e da discussão de alguns textos produzidos pelo Coletivo Crítico, procuramos por aspectos que pudessem caracterizar práticas de modelagem na perspectiva sociocrítica. De nossas análises, destacamos que, para além de aspectos naturais a práticas nessa perspectiva, os estudos do grupo revelam: i) um tensionamento, pouco observado em outros trabalhos, na componente matemática da modelagem; e ii) uma busca por transformações nas realidades educacionais por meio da relação dialética existente entre prática pedagógica e pesquisa.

Biografia do Autor

Jussara de Loiola Araújo, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Professora Titular da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), atuando no Departamento de Matemática e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Possui licenciatura, bacharelado e mestrado em Matemática pela UFMG e doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus Rio Claro, São Paulo. Realizou estágio de pós-doutorado na Universidade de Lisboa, Portugal. É membro do Coletivo Crítico: Perspectivas Sociopolíticas e Críticas em Pesquisas e Práticas Pedagógicas em Educação Matemática, do Grupo de Discussões sobre Modelagem na Educação Matemática (GDMEM) e do grupo Pesquisa em Teoria da Atividade Histórico-Cultural na Pesquisa em Educação (CHATER/UFMG). Seus principais interesses são modelagem na educação matemática, educação matemática crítica, teoria da atividade, metodologia de pesquisa e insubordinações criativas na educação matemática.

Fernando Henrique de Lima, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), na linha Educação Matemática, da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (FaE/UFMG, 2020) e graduado em Matemática (Licenciatura) pela mesma universidade (UFMG, 2015). Doutorando no PPGE/FaE/UFMG, na linha Educação Matemática, membro do Coletivo Crítico: Perspectivas Sociopolíticas e Críticas em Pesquisas e Práticas Pedagógicas em Educação Matemática (UFMG) e do Grupo de Discussões sobre Modelagem na Educação Matemática (GDMEM/UFMG). Atua, também, como professor de Matemática na Educação Básica pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. Tem interesse, principalmente, nos seguintes temas: modelagem na educação matemática; formação de professores; educação matemática crítica; e insubordinação criativa. 

Downloads

Publicado

2023-12-15

Como Citar

Araújo, J. de L., & Lima, F. H. de. (2023). MODELAGEM MATEMÁTICA E EDUCAÇÃO MATEMÁTICA CRÍTICA: UMA INTERLOCUÇÃO POSSÍVEL. VIDYA, 43(2), 267–286. https://doi.org/10.37781/vidya.v43i2.4622