VOLUME E CAPACIDADE ANÁLISE PRAXEOLÓGICA EM UM LIVRO DIDÁTICO DO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Katy Wellen Meneses Leão, Marilene Rosa dos Santos, Paula Moreira Baltar Bellemain

Resumo


Este artigo se propõe a descrever a modelagem praxeológica realizada em um livro de 6º ano do Ensino Fundamental no que concerne às grandezas volume e capacidade, observando se essas grandezas são estudadas em seus aspectos unidimensionais ou tridimensionais. Para isso, utilizamos como aporte teórico a Teoria Antropológica do Didático, idealizada por Chevallard (1998) e seus colaboradores. Observou-se que as tarefas do tipo medir são mais numerosas do que as demais, como reiteram outros autores, sendo seguidas pelas tarefas do tipo realizar operações básicas e resolver problemas. A grandeza volume em seu aspecto tridimensional é mais estudada do que no unidimensional. Em diversas vezes, o volume unidimensional é tratado como capacidade. Há uma evolução das tarefas e técnicas modeladas no livro, que está em conformidade com os documentos oficiais vigentes em sua elaboração.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.37781/vidya.v42i1.3733

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.