Os cenários da pandemia: a Geografia, o ensino remoto e a escola

Ana Carla Lenz, Ana Paula Kiefer, Lucian Armindo da Silva Brinco, Natália Lampert Batista

Resumo


O presente artigo dialoga sobre a importância do ensino de Geografia e do professor da disciplina para a construção da interpretação crítica do espaço geográfico (vivido ou não) pelos estudantes, sobre o ensino remoto em tempos de pandemia e a escola enquanto lugar, não só de ensino e aprendizagem, mas também de pertencimento. Para tal, fez-se uso da abordagem qualitativa, de revisão teórica e de pesquisa de “campo virtual”, por meio do aplicativo de mensagens instantâneas de texto, de voz e de vídeos, WhatsApp, nos meses de maio, junho e julho de 2020. Observou-se que o isolamento social tem despertado inúmeras inquietações tanto para estudantes como para professores, bem como que a escola é um lugar essencial a comunidade escolar, para além do papel de escolarização, mas também de construção de identidades e de conhecimentos geográficos. Assim, conclui-se que a pandemia reitera a importância da presença o professor, do estudante e de toda a comunidade escolar no lugar-escola, bem como que o ensino remoto, por mais abrangente que se proponha, não dá conta das peculiaridades dos contextos vividos pelos estudantes e docentes imbricados no ensino de Geografia.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.37780/ch.v21i2.3409

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pela Universidade Franciscana.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.