As relações externas entre Getúlio/Brasil e Perón/Argentina (1951-1954)

Loeni de Souza Cristofari, Lenir Cassel Agostini

Resumo


As relações externas, entre os governos de Getúlio Vargas/Brasil e Juan Perón/Argentina, foram marcadas por rupturas e simetrias. Pretende-se compreender, através da História Política, como essas relações se processaram entre Getúlio Vargas e Juan Perón, Presidentes do Brasil e Argentina, respectivamente, no período de 1951 a 1954. Nessa perspectiva, busca-se construir a trajetória varguista e peronista num cenário onde a modernização, baseada na industrialização, era entendida por Vargas e Perón como um caminho para alcançar a autonomia política e econômica na América Latina, diante das nações hegemônicas do pós-guerra. Para a consolidação dessas propostas governistas, Vargas e Perón entendiam que, além de uma política interna estável, necessitavam de uma política externa, visando ao reconhecimento e à participação na política internacional com soberania. Nesse sentido, Perón empenha-se para efetivar uma integração econômica na América Latina, vinculando Argentina, Brasil e Chile, ao Pacto ABC. Entretanto, pretensões de liderança na Região Sul, por parte da Argentina e Brasil, caracterizaram essas relações, dificultando os entendimentos para concretização do Pacto ABC. A pesquisa foi relizada através do cruzamento de fontes bibliográficas e fontes documentais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pela Universidade Franciscana.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.