FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EDUCAÇÃO VOLTADA PARA OS INTELECTUAIS ORGÂNICOS

Filipe Sales, Guilherme Santos Pinto, Pedro Santos Santos

Resumo


Este artigo propõe uma reflexão acerca da formação de professores na atualidade, a partir dos escritos de Antônio Gramsci, em especial sobre a função dos intelectuais “orgânicos”, dentro de uma visão crítica da sociedade, com vistas à transformação social. Centralmente, dialogamos com a compreensão de intelectuais apresentada por Gramsci em seus escritos do cárcere, assim como, sobre a influência destes na gestão escolar, bem como no processo de formação docente. Reconhecemos a importância desta concepção para a formação de um pensamento crítico e, de certa forma, determinante nos processos culturais, educacionais, e de formação de profissionais críticos e implicados no processo de gestão escolar. Trata-se de um estudo bibliográfico, de abordagem qualitativa. Destacamos a importância de uma cultura baseada em uma educação humanista, proposta por Gramsci, como também, sobre a influência da teoria do autor sobre os processos formativos docentes, e sua influência na gestão escolar, possibilitando a estes profissionais a viabilidade de serem agentes de mudança no cenário educacional.


Texto completo:

PDF

Referências


ADMINISTRADORES. Modo de produção capitalista e suas crises, concorrência e competitividade do século XXI. Alma dos negócios ou era da conquista? Disponível em :. Acesso em: 07 mar. 2017.

ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos de estado: nota sobre os aparelhos ideológicos de estado (AIE). Tradução Walter José Evangelista e Maria Laura Viveiros de Castro. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

AURELIO, O mini dicionário da língua portuguesa. 4a edição revista e ampliada do mini dicionário Aurélio. 7ª impressão – Rio de Janeiro, 2002.

BRETAS, S; NOVAES, C. O conceito de coletividade de Anton Makarenko, em seu Poema pedagógico. Rev. bras. Estud. pedagog. (online), Brasília, v. 97, n. 246, p. 402-423, maio/ago. 2016.

FERNANDES, C. Intelectuais orgânicos e legitimação do estado no Moçambique pós-independência: o caso do centro de estudos africanos (1975-1985). Revista Afro-Ásia, Bahia, n. 48, p. 11-44, jan/jun. 2013.

GATTI, B; BARRETTO, E. S. S. Professores no Brasil: impasses e desafios. Brasília: Unesco, 2009.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere – O Princípio Educativo. Jornalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006b. v. II.

_________________. Os intelectuais e a organização da cultura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. 4ª Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.

GUIMARÃES, C. G.. Uma leitura sobre o Império do Brasil no contexto do século XIX: diálogo com Ricardo Salles. Revista Almanack. Guarulhos, n.04, p.46-52, jul./dez. 2012.

PASSMORE, J. The Philosophy of Teaching. London: Duckworth, 1980. Trad.: Olga Pombo (1994/1995).

PEIXOTO, E. O serviço de recreação operária e o projeto de conformação da classe operária no Brasil. Revista Pro-Posições, Campinas, v. 19, n. 1 (55), p. 115-140, jan./abr. 2008.

PIRES, A,C; BRITO, D.A;SILVA, M.C.P. A Função dos Intelectuais e o papel da escola na Organização da Cultura. Campinas: Revista HISTEDBR. n. 47, p. 349-362, Set. 2012.

SANTOS, B. S. Vygotsky e a teoria histórico-cultural. In LA ROSA, Jorge, (Org.) Psicologia e Educação – O significa do Aprender. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

SEMERARO, G. Intelectuais “orgânicos” em tempos de pós-modernidade. Revista Cad. Cedes, Campinas, vol. 26, n. 70, p. 373-391, set./dez. 2006.

SILVA, L. M. TOURAINE, BURAWOY, GRAMSCI: do social ao político. Caderno CRH, Salvador, v. 22, n. 56, p. 281-296, Maio/Ago. 2009.

WOLFF, F. Dilema dos intelectuais. In: NOVAES, A. O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Não há custos de publicação e leitura, mas doações são bem vindas.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.