Aleitamento materno: sua representatividade para mulheres

Jaqueline Smaniotto, Karen Mello de Mattos

Resumo


No presente estudo o objetivo foi analisar a representatividade da amamentação para mulheres; verificar a principal causa do desmame e investigar a influência familiar no aleitamento materno. Pesquisa de delineamento transversal, ocorrida de maio a junho de 2010, com público-alvo de mulheres com faixa etária entre 19 a 50 anos, que buscaram atendimento nas Unidades Básicas de Saúde I e II localizadas em Tucunduva/RS. Foi aplicado um questionário sobre aleitamento materno e os dados analisados no programa SPSS 15.0. Ao serem questionadas sobre a definição do aleitamento, as mães afirmaram que este significa saúde, 45% das mulheres amamentaram seus filhos mais de um ano; a maioria das mães não achava seu leite fraco; e 32,6% das mulheres entrevistadas não receberam motivação para amamentar. As mulheres entrevistadas obtiveram influência familiar positiva sobre a amamentação e possuíam uma adequada percepção em relação à representatividade do aleitamento materno como fator de saúde para seu filho.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.