O brincar no enfrentamento do processo de hospitalização

Lenise Dutra da Silva, Patrine Paz Soares, Carolina Calvo Pereira, Adriana Dall’Asta Pereira, Hilda Maria Barbosa de Freitas, Rosiane Filipin Rangel

Resumo


Grande parte do desenvolvimento infantil é impulsionado a partir das brincadeiras. Um ambiente hostil, desconhecido aos olhos infantis, como no caso de um hospital, pode interferir negativamente no processo de desenvolvimento da criança. Nesse contexto buscou-se compreender a importância do brincar para cuidadores e crianças, durante o processo de hospitalização. Trata-se de uma pesquisa descritiva exploratória de caráter qualitativo, realizada no período de fevereiro a outubro de 2016, com cuidadores e crianças internadas em uma unidade pediátrica. Pode-se constatar que os cuidadores percebem que o brincar auxilia no tratamento e melhora clínica da criança. Ao brincar a criança realiza uma atividade que lhe é prazerosa, sente-se à vontade como se o hospital fizesse parte de seu mundo, algo improvável, se a brincadeira não estivesse presente nesse ambiente. Oportunizar à criança um espaço, onde ela possa brincar, pode modificar a percepção da criança quanto ao contexto hospitalar, auxiliar na adesão ao tratamento e consequente uma melhora clínica e diminuição dos efeitos negativos da hospitalização no desenvolvimento infantil.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.