“A gente dança, a gente faz sexo, a gente conversa, a gente dá conselho”: um estudo sobre envelhecimento em prostitutas de meia-idade

Catheline Rubim Brandolt, Monise Gomes Serpa

Resumo


Na presente pesquisa, apresenta-se, a partir de entrevistas de duas prostitutas de Santa Maria/RS, como essas percebem o envelhecimento na meia-idade, analisando o lugar que seu corpo ocupa em sua relação com os clientes e como elas compreendem seu envelhecimento. Para isso, utilizaram-se entrevistas semiestruturadas, abordando questões sobre corpo, trabalho e envelhecimento. O processo de envelhecer implica-se a uma lógica da vida, ressaltando que, por mais perceptíveis que sejam as marcas físicas, elas conseguem associar aspectos positivos. Os estímulos no ambiente de trabalho estão interligados à ideia de cansaço e fadiga em suas rotinas durante e após o período em que realizam os programas. No processo de envelhecimento, conseguem agregar a experiência neste trabalho como um “bônus” para lidar com os clientes. Assim, é possível expandir o foco sobre o corpo em envelhecimento da prostituta, que sofre ao longo dos anos nesse trabalho, mas cria novos significados para suas funções na arte de “vender fantasias sexuais”.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pela Universidade Franciscana.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.