A percepção ambiental dos alunos de 2º ano do Ensino Médio de Quevedos, RS, Brasil

Natália Lampert Batista, Roberto Cassol, Elsbeth Léia Spode Becker

Resumo


Os mapas mentais possibilitam a inclusão de elementos subjetivos que, geralmente, não estão presentes nos mapas tradicionais e remetem aos sentimentos topofílicos e topofóbicos, fazendo com que o mapeador expresse sua afetividade e sua compreensão da realidade. Assim, tem-se como objetivo no presente trabalho: contribuir para estudos geográficos enfatizando a percepção ambiental local dos alunos de 2º ano do Ensino Médio, da Escola Estadual de Educação Básica Dom Pedro I, por meio da elaboração de mapas mentais. Essa investigação foi embasada no método fenomenológico, proposto por Husserl, e a análise dos mapas mentais apoiou-se na “Metodologia Kozel”. Constatou-se que práticas vinculadas ao entendimento ambiental local se tornam urgentes para a construção de um entendimento do espaço que possibilite uma leitura e uma compreensão das verdades temporárias sobre o “mundo” de modo articulado, inter-relacional e sistêmico, permitindo um pensar reflexivo e despertando o sentimento de pertencimento e a identidade dos educandos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pela Universidade Franciscana.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.