Bem-estar subjetivo e ajustamento emocional em mulheres que estão em processo de emagrecimento

Bibiana Marinho Teixeira, Josiane Lieberknecht Wathier Abaid

Resumo


Neste estudo, verificaram-se as relações entre dados biosociodemográficos, bem-estar subjetivo (BES) e o ajustamento emocional de mulheres em tratamento para emagrecimento. Participaram 24 mulheres, sendo 14 de uma clínica multiprofissional privada e 10 de uma comunitária. Utilizou-se um questionário de dados sociodemográficos e corporais, e as Escalas de Bem-estar Subjetivo (EBES) e Fatorial de Neuroticismo (EFN). Com relação ao BES, os escores de satisfação de vida global foram significativamente mais elevados no primeiro grupo enquanto os de afeto negativo, mais altos no grupo com tratamento em local comunitário. Quanto à escala EFN, encontrou-se alto nível de neuroticismo, independentemente do local de tratamento, sobretudo em relação à vulnerabilidade. Assim, os fatores de personalidade parecem estar relacionados à saúde física das participantes nas características de sobrepeso e obesidade. Destaca-se a importância de se refletir sobre o processo de emagrecimento à luz de facetas do BES e a necessidade de mais estudos quanto aos fatores de neuroticismo neste contexto clínico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pela Universidade Franciscana.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.