SUBJETIVIDADE E SEXUALIDADE: UM ESTUDO DE CASO

Alana Schwickert, Bento Selau

Resumo


O estudo teve como objetivo conhecer aspectos referentes à educação sexual, ocorrida durante a trajetória escolar, de uma jovem com paralisia cerebral. Neste trabalho, procurou-se, ainda, evidenciar algumas das considerações da participante sobre sexualidade. Metodologicamente, tratou-se de um estudo de caso de uma pessoa do sexo feminino com paralisia cerebral. Esta participante realizou toda a sua formação em educação básica, em classe regular da escola pública do Rio Grande do Sul. A coleta de dados ocorreu por meio de entrevista semi-estruturada. Os resultados da análise textual discursiva foram subdivididos em duas categorias: “A menina com paralisia cerebral na escola” e “A sexualidade da mulher com paralisia cerebral”. Os dados coletados mostraram que a educação escolar, enquanto prática de ensino sistematizado, pouco interferiu no processo de educação sexual da pesquisada. Além disso, a presença do preconceito e da sua consequente superação pela sujeita se fizeram presentes na construção da subjetividade da jovem com paralisia cerebral.


Texto completo:

PDF

Referências


ALTMANN, H. Orientação sexual nos parâmetros curriculares nacionais. Rev. Est. Fem., Florianópolis, v. 9, n. 2, 2001, p. 575-585. Disponível em: . Acesso em: 24 fev. 2014.

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. 16. ed. Campinas: Papirus, 2009.

BASIL, C. Os alunos com paralisia cerebral e outras alterações motoras. In: COLL, C.; MARCHESI, Á.; PALACIOS, J. (Orgs.). Desenvolvimento psicológico e educação. Transtornos de desenvolvimento e necessidades educativas especiais. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 215-233.

BEYER, H. O. Inclusão e avaliação na escola: de alunos com necessidades educacionais especiais. Porto Alegre: Mediação, 2006.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

BRITZMAN, D. Curiosidade, sexualidade e currículo. In LOURO, G. L. (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

CASTRO, A. Sexualidade, gênero e diversidade: currículo e prática pedagógica. 35ª Reunião Nacional da ANPEd: Porto de Galinhas, 2012.

CÉSAR, M. R. A. Governando corpos e sexualidade na escola. 33ª Reunião Nacional da ANPEd: Caxambu, 2010.

FERREIRA, T. S. Modos de ver, sentir, e questionar: a presença do gênero e da sexualidade no curso de pedagogia. 36ª Reunião Nacional da ANPEd: Goiânia, 2013.

FILHA, C. X. Educação para a sexualidade: carregar água na peneira? In: RIBEIRO, P. R. C. et al. Corpo, gênero e sexualidade: composições e desafios para a formação docente. Rio Grande: FURG, 2009.

FOUCAULT, M. A história da sexualidade: a vontade de saber. 12. ed. RJ: Graal, 1997.

FURLANI, J. Educação sexual: possibilidades didáticas. In: LOURO, G. L. et al. Corpo, gênero e sexualidade. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

GLAT, R. A sexualidade da pessoa com deficiência mental. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 1, n.1, 1992, p. 65-74.

LOURO, G. L. Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, G. L. et al. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010. p. 07-35.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisa em educação. São Paulo: EPU, 1986.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003. Disponível em: . Acesso em: 24 fev. 2014.

PIECZKOWSKI, T. Educação sexual de pessoas com deficiência mental. Revista Educação Especial, Santa Maria, n. 30, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2014.

VIGOTSKI, L. S. Psicologia pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2003.




DOI: https://doi.org/10.37782/thaumazein.v7i13.71

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Não há custos de publicação e leitura, mas doações são bem vindas.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.