A DEDUÇÃO TRANSCENDENTAL DAS CATEGORIAS SEGUNDO MARTIN HEIDEGGER

Douglas João Orben

Resumo


O presente trabalho apresenta uma análise da Dedução Transcendental kantiana segundo a interpretação de Martin Heidegger. Não obstante aos objetivos kantianos de provar a aplicabilidade das condições puras e a priori do Entendimento à experiência sensível, Heidegger aborda a Dedução Transcendental das categorias salientando, sobretudo, a dimensão finita do conhecimento humano. A proposta heideggeriana não pretende desconsiderar a filosofia transcendental kantiano, muito pelo contrário, a finitude do Entendimento é uma consequência inevitável da própria crítica transcendental empreendida por Kant. Neste sentido, a Dedução Transcendental, ao estabelecer a vinculação das condições intelectuais do Entendimento com os dados sensíveis da intuição, deve, necessariamente, evidenciar os limites finitos do conhecimento possível. A essencial condição do conhecimento humano revela-se, portanto, na síntese da Dedução Transcendental. Para Heidegger, a síntese é uma função da imaginação produtiva que, ao sintetizar conceitos e intuições, condiciona a totalidade do conhecimento fenomênico. A finitude do Entendimento manifesta-se, deste modo, na própria síntese da imaginação, pois, acabada a Dedução Transcendental das categorias, o conhecimento humano encontra-se forçosamente limitado às condições sensíveis.

Texto completo:

PDF

Referências


BERCIANO, Modesto. Finitud y tiempo em Kant y em Heidegger. Revista Portuguesa de Filosofia, Braga: RPF, v.61, n.3-4, p. 819-839, 2005.

CAYGILL, Howard. Dicionário Kant. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000. (Dicionários de filósofos).

HEIDEGGER, Martin. Kant y el problema de la Metafísica. Tradução de Gred Ibscher Roth. México: Fondo de Cultura Económica, 1954.

_______. Sôbre a essência da verdade a tese de Kant sôbre o ser. Tradução de Ernildo Stein. São Paulo: Livraria duas cidades, 1970.

HÖFFE, Otfried. Immanuel Kant. Barcelona: Herder, 1986.

KANT, Immanuel. Crítica da Razão pura. Tradução Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão. Lisboa: Editora Fundação Caloute Gulbenkian, 1985.

______. Lógica. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1992.




DOI: https://doi.org/10.37782/thaumazein.v4i7.158

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Não há custos de publicação e leitura, mas doações são bem vindas.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.