Preservação da alimentação sustentável dos feirantes de Santa Maria - RS

Mariana Kurtz da Costa, Tereza Cristina Blasi

Resumo


O consumo inadequado de hortifrutis está entre os principais fatores de risco para a maioria das doenças no mundo. No Brasil, o consumo desses alimentos é menor entre os ruralistas. O objetivo foi verificar se produtores rurais incluem na dieta produtos que eles produzem e vendem e, também, alimentos industrializados. Realizou-se entrevista com 44 feirantes por meio de questionário contendo perguntas fechadas sobre produção, alimentação e sustentabilidade. Os principais produtos vendidos são: verduras (65,9%), frutas (47,7%) e, em menor quantidade, estão as leguminosas (9,1%). O consumo de frutas e hortaliças é de 100% e 93,2%, respectivamente. A maioria dos feirantes comercializam em Santa Maria a mais de 20 anos. A renda mensal obtida é de R$771,42, mantendo suas necessidades básicas. Com o consumo regular desses alimentos, que são ricos em fibras e micronutrientes, pode-se dizer que esse grupo tem menor risco de contrair doenças crônicas não transmissíveis. Além disso, a autossustentabilidade de hortaliças garante maior segurança alimentar.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.