O consumo de cafeína e de cálcio por idosas institucionalizadas

Elenise Stuker Fernandes, Franciele Silva Facco, Juliana Ebling Brondani, Mônica Dornelles Flores, Karen Mello de Mattos

Resumo


O envelhecimento envolve alterações progressivas que ocasionam a carência de nutrientes e o aparecimento de patologias. Nesta pesquisa, objetivou-se avaliar o consumo de cafeína em idosas institucionalizadas; comparar o consumo de cálcio e cafeína diário com a recomendação; averiguar o estado nutricional; verificar o risco para doenças cardiovasculares e investigar a existência de patologias ósseas. A pesquisa foi realizada de março a dezembro de 2008, em uma Instituição Geriátrica de Santa Maria-RS, com idosas acima de 60 anos, que assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e sem comprometimento neurológico e seu delineamento foi transversal. Foram analisados prontuários, aplicado o Questionário de Frequência do Consumo Alimentar e realizada avaliação antropométrica. Participaram da pesquisa 74 idosas, com consumo de cafeína de 18 mg/dia e 677,6 mg/dia de cálcio, 36,6% apresentaram baixo peso e 33,8% sobrepeso, 52,1 % possuíam risco para desenvolvimento de doenças cardiovasculares e 18,9% osteoporose. Faz-se necessária a intervenção nutricional com essa população visando ao progresso do estado nutricional.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.