Uso racional de psicofármacos em pessoas idosas com doença de Alzheimer

Gabriele dos Santos Pereira, Felipe Schroeder de Oliveira, Jane Beatriz Limberger

Resumo


No presente estudo teve-se por objetivo descrever o perfil da prescrição e utilização de psicotrópicos em pessoas com doença de Alzheimer (DA), observando os aspectos relacionados à segurança das prescrições medicamentosas. A análise foi balizada pelos critérios de Beers-Fick, pelos quais são descritos os medicamentos não recomendados em idosos, independentemente do diagnóstico ou da condição clínica, devido ao alto risco de efeitos colaterais. A amostra da pesquisa foi composta por quinze participantes do Grupo AMICA (Assistência Multidisciplinar Integrada aos Cuidadores de Pessoas com Doença de Alzheimer), do Centro Universitário Franciscano na cidade de Santa Maria, RS, e a coleta dos dados foi realizada no período de março a maio de 2015. Em relação aos medicamentos prescritos desses participantes, observou-se que nenhum se encontra na lista dos critérios de segurança de Beer-Ficks, porém, foram identificadas diversas interações medicamentosas entre os fármacos, além de reações adversas comuns, que colocam em risco a segurança da pessoa idosa com DA.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.