A utilização de games na educação básica: estratégias para a aprendizagem

Cisnara Pires Amaral, Aline Ghohe Schirmer Pigatto

Resumo


O artigo faz referência a um produto educacional gamificado produzido como uma estratégia para despertar o interesse por conteúdos inseridos no currículo, estimulando a curiosidade em relação ao ensino de Genética e suas diferentes abordagens; oportunizando a contextualização e o conhecimento científico. O game foi construído a partir de uma história hipotética de um caso de anemia falciforme, doença genética muito discutida em questões de vestibular e livros didáticos. Está dividido em 10 fases, onde o jogador será levado a explorar as causas da anemia falciforme, sua classificação, a mutação ocorrida, o aconselhamento genético, a Fertilização in vitro (FIV), a fecundação, os hormônios envolvidos, o desenvolvimento inicial do embrião e as diferenças entre síndromes gênicas e cromossômicas. O produto foi aplicado para as turmas de 2º e 3ºano do ensino Médio, de uma escola de ensino privado de um município da região central do Rio Grande do Sul, totalizando uma amostra de 28 discentes. Observou-se a aceitação por parte do estudante em relação a ferramenta, o engajamento durante a aplicabilidade, a compreensão em relação aos comandos, a capacidade de oportunizar interdisciplinaridade, ressignificação de conceitos e aprendizagem.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.37779/nt.v23i1.4134

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.