Atividade antibiofilme in vitro de lipossomas de fluconazol

Mariana Brandão Paz, Diego Becker Borin, Alexandre Machado Rubim, Jaqueline Bandeira Rubenick, Roberto Christ Vianna Santos

Resumo


Em consequência do crescente número de pacientes imunodeprimidos, se faz necessário aumentar o grau de atenção a infecções ocasionadas por leveduras oportunistas, especialmente do gênero Candidasp. Essas infecções são preocupantes, pois os microrganismos podem se organizar em forma de biofilme, apresentando alta taxa de resistência aos agentes antifúngicos. Portanto torna-se necessário a busca por novas modalidades terapêuticas como a utilização de vetores de biodistribuição nanométricos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antibiofilme in vitro de fluconazol livre e lipossomas de fluconazol. Utilizando a técnica de formação de biofilmes em placas de poliestireno de 96 poços, verificou-se que a concentração de lipossomas de fluconazol necessária para erradicação do biofilme foi de 12,5%. Quando analisado o fluconazol livre, foi necessária uma concentração de 25%. Este estudo ratifica a necessidade de pesquisas com vetores nanométricos oportunizando a redução na dosagem, diminuindo a frequência utilizada, reduzindo custos da terapia e tornando a toxicidade diminuída.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.37779/nt.v14i1.1311

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.