Sintaxe gerativa: Reflexões para a prática pedagógica da língua portuguesa

Matheus Mario da Costa, Nilsa Teresinha Reichert Barin

Resumo


O desinteresse pelo estudo de sintaxe da língua portuguesa tem aumentado ao longo do tempo, porque a gramática tradicional, ao invés de explicar como ocorre a construção frasal, dita normas para o uso da língua. A gramática gerativa, por outro lado, preocupa-se com a questão estrutural, mostrando todas as transformações ocorridas na frase e por que são utilizadas tais estruturas a partir de um nível maior de abstração, a estrutura profunda. Com o objetivo de mostrar as vantagens da gramática gerativa na investigação da sintaxe, foi realizado um estudo comparativo com a gramática tradicional em que se analisaram duas unidades didáticas de escolas da região centro de Santa Maria – RS. A partir desses estudos, percebeu-se que a norma utiliza a semântica para classificar orações, não conseguindo explicar a construção frasal nem as relações existentes na frase. A gramática sintagmática, com base na questão estrutural, mostra por que são utilizadas tais estruturas a partir de regras de reescritura e informações teóricas que permitem descrever qualquer construção frasal da língua portuguesa, simplificando o ensino da mesma.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.