O diálogo intertextual em “O Resto é Silêncio”

Rejane Maria Arce Vargas, Inara de Oliveira Rodigues

Resumo


O principal objetivo, neste ensaio, é verificar-se o entrecruzamento do discurso ficcional e histórico, bem como a intertextualidade, na obra O resto é silêncio, de Erico Verissimo. Para proceder as análises, o referencial teórico está fundamentado nos estudos desenvolvidos pelo teórico russo Mikhail Bakhtin no que diz respeito à manifestação da ideologia por meio da linguagem num processo dialógico-polifônico. A obra O resto é silêncio, a partir do diálogo intertextual estabelecido, aponta para muitos sentidos. Assim, esta análise procura encadear algumas das muitas significações que o romance abarca, de modo a proporcionar uma compreensão dialógica da narrativa.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.