A questão do erotismo em A Força do Destino, de Nélia Piñon

Cristina Cardoso, Marta Lia Genro Appel

Resumo


O objetivo do trabalho foi analisara forma utilizada pela autora Nélida Pifion para tratar o erotismo na sua obra "A Força do Destino". Partindo-se da definição de erotismo, mostrou-se que o desejo carnal, a honra maculada. o assassínio e os desejos velados do incesto e da batina são alvo de uma situação que aterra o ser humano: o desejo do prazer sexual, da sexualidade aberrante que se afirma entre a descontinuidade dos seres. Ou seja, num sentido, o prazer sexual interdito declarado na obra é a vertigem fascinante que a morte desperta. O sofrimento é envolvido nesta relação erótica, pois só o sofrimento revela a inteira significação do ser amado: se o amante não pode possuir o ser amado, prefere, muitas vezes, matar a perdê-lo, como ocorre na obra. Essa fúria de paixão acarreta uma desordem tão violenta que a felicidade dos amantes, antes de ser uma felicidade cujo prazer é possível, é tão grande que pode ser comparada ao sofrimento, seu oposto -e a intensidade de sentimentos provocada é altamente erótica. Portanto, o que caracteriza a paixão é o halo da morte - ligado ao prazer absoluto e à transgressão. que ultrapassa e completa o proibido.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.