Desempenho em viveiro de três espécies florestais nativas sob diferentes ambientes de luminosidade

Lauri Amândio Schorn, Jéssica Tainá Guczak, Maria Carolina Silva, Edier Rodrigo de Andrade, Tatiele Anete Bergamo Fenilli, Ricardo Bittencourt

Resumo


A qualidade das mudas é um fator fundamental para alcançar o êxito na implantação de povoamentos florestais. Apesar da importância econômica e ambiental de diversas espécies florestais nativas, há necessidade de estudos sobre a produção de mudas e o comportamento silvicultural, tanto em viveiro quanto em campo. Avaliou-se o desempenho de mudas de Miconia cinnamomifolia, Matayba elaeagnoides e Luehea divaricata, quando produzidas sob diferentes níveis de luminosidade em viveiro. A pesquisa foi desenvolvida no viveiro florestal do Laboratório de Silvicultura da Universidade Regional de Blumenau. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado. Foram estabelecidos quatro tratamentos em relação à luminosidade, assim distribuídos: Tratamento 01 (T1) com exposição a 100% de luz; Tratamento 02 (T2), com 74% de disponibilidade de luz; Tratamento 03 (T3) com 45% de luminosidade; Tratamento 04 (T4), com 25% de luminosidade. Cada tratamento foi constituído por 40 mudas, subdivididas em quatro repetições de 10 mudas em cada um deles. As avaliações das parcelas em viveiro foram realizadas mensalmente, através da mensuração das alturas e diâmetro do coleto de todas as mudas; e aos oito meses, quando foram avaliadas, as alturas, diâmetro do coleto, massa seca aérea, massa seca radicular e os teores de clorofila, utilizando-se cinco mudas de cada parcela. Também foi calculado, para cada parcela, o índice de qualidade de Dickson. Para a comparação entre os tratamentos foi realizada a análise da variância, e as médias comparadas pelo teste de Tukey, utilizando-se o nível de probabilidade de erro de 5%. Em níveis mais baixos de luminosidade, as três espécies mostraram diminuição de incrementos e aumento nos teores de clorofila. Os níveis de luminosidade em viveiro, indicados para as espécies e nas condições do estudo são, 74% para Miconia cinnamomifolia e Matayba elaeagnoides e 74% a 100% para Luehea divaricata


Texto completo:

PDF

Referências


DOI: http://doi.org/10.37779/dscnt.v21n1-002


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.